The Lucky One (Um Homem de Sorte) [LIVRO]

“Mas não estava em outra época e lugar, e nada daquilo era normal. Trazia a fotografia dela consigo há mais de cinco anos. Atravessou o país por ela.”

Crítica: Pretendo escrever uma crítica sobre o filme também, mas começando pelo livro… Sou suspeita para opinar, já que de uns anos pra cá me tornei uma grande fã do escritor Nicholas Sparks. Pra quem não reconhece o nome, devo citar que ele foi quem escreveu romances como “Diário de uma paixão” (meu preferido) e “Um amor pra recordar”. Todos estes e mais muitos outros levados para as telonas.

Esse livro me surpreendeu como nenhum outro do Sparks fez. Quem já ouviu falar ou já leu pelo menos dois de seus livros, sabe que ele é famoso por matar seus personagens. Não todos, claro, mas sempre algum. Esse fato já se tornou característica do escritor e motivo de piadinhas entre os fãs, que como eu, a cada romance se vêem apostando quem morrerá no próximo livro e coisas do tipo.

Muitos gostam de dizer que os livros de Nicholas Sparks são prevísiveis, e eu não deixo de concordar só por ser uma admiradora. Reconheço que a maioria de suas história seguem de uma forma ou outra, um mesmo molde. Porém esse livro foi, na minha opinião, uma tentativa do escritor de mudar isso, ou talvez só dar um chacoalhão em quem dizia que ele era previsível. O fato é que até eu fiquei me perguntando se não foi eu que comi palavra de tanta ansiedade.

Não tive dificuldade com a leitura, mas também sou suspeita, porque ele possui a escritura a qual mais tenho facilidade de ler. Muitos diálogos me presentearam com boas risadas, porém também houveram lágrimas. Muitas. Foi aí que no final, bem no final, Sparks me pegou de surpresa. Só não vou contar o que foi, mas olha… Eu podia ver ele na minha frente gargalhando na minha cara com uma troll face.

Sobre os personagens, bem rapidinho: Thibault é um cara do tipo misterioso, estranho, e isso acaba se tornando até engraçado em algumas partes (vocês entenderão porquê). Beth é uma típica mãe com problemas “em casa” que a impedem de viver como deveria (no próximo post falarei MUITO sobre ela no filme). Seu filho, Ben, é um garoto esperto, inocente, porém não como qualquer outro. Já “Nana” (nome que é trocado no filme por Ellie, eu sei lá porquê), avó de Beth, é uma graça, em todos os sentidos. Agora, Clayton. Keith Clayton… um completo mala que representa muitos malas que vemos por ai normalmente. Por fim, Zeus, o cão de Thiabult, meu personagem preferido.

Enfim, é uma ótima opção pra relaxar, apesar de ter sido tudo o que eu não fiz graças a minha ansiedade incontrolável pra terminar e assistir o lindo do Zac Efron (detalhe: eu comi o livro inteiro em dias pra depois descobrir que o filme só sairia dali dois meses). Recomendo ele principalmente pra quem acha Nicholas Sparks um coco. É um dos melhores livros dele, e acredito eu, o menos pior pra quem não curte. Espero que seus próximos livros venham com mais surpresas.

Anúncios

Uma resposta para “The Lucky One (Um Homem de Sorte) [LIVRO]

  1. eu adoro o sparks. sou como você, concordo quado dizem que ele é previsível, clichê, e tal… mais acrescento também que ele é realista! e o que é a nossa vida real se não uma sequência de acontecimentos igualáveis aos acontecimentos dos outros ao nosso redor?! só muda o endereço haha!
    comecei a ler esse livro com um pé atrás (não curto muito o zac :X), mas ele me surpreendeu bastante! é uma historia excelente! ❤

    beijos!

    rascunhos e borrões

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s